spot_img
spot_img

Uma em cada quatro mulheres enfrentam depressão pós-parto

spot_img

Mais notícias

Especialista afirma que rede de apoio é essencial durante o período

 

Segundo o Ministério da Saúde, o puerpério se define como o período que ocorre logo após o parto, fase em que o corpo da mulher está em processo de recuperação da gravidez, sofrendo uma série de modificações físicas e psicológicas. Com isso, garantir o bem-estar materno durante esse período é essencial, prevenindo-a de desenvolver condições graves, como é o caso da depressão pós-parto.

De acordo com dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Brasil, 26,3% das parturientes apresentam o quadro. O dado corresponde a aproximadamente uma em cada quatro mulheres. Entre os sintomas da condição, estão alterações de humor, dificuldade para dormir, fadiga extrema e problemas de concentração. Pensamentos negativos em relação a si mesma ou ao bebê também podem surgir.

“Durante a gravidez, as mudanças tanto psicológicas quanto físicas, são inúmeras. Após o parto, as mães experimentam uma montanha-russa de emoções enquanto seus corpos se recuperam, o que torna crucial que as mulheres recebam apoio emocional e médico durante o puerpério”, explica Jéssica Ramalho, fisioterapeuta e cofundadora da Acuidar, franquia de cuidadores especializados. A profissional explica que esse é um quadro comum no país, o que criou uma demanda ascendente por um serviço de assistência às pacientes que enfrentam a condição.

Ramalho explica que a presença de um cuidador pode ser um grande auxílio para promover a saúde mental e emocional tanto das mães quanto de seus bebês. O profissional pode auxiliar nas tarefas e nos cuidados com o recém-nascido, permitindo que a paciente tenha tempo para descansar e se recuperar adequadamente.

“O apoio emocional também é fundamental, pois o simples ato de compartilhar sentimentos e preocupações pode aliviar o fardo que as mães enfrentam durante esse período”, afirma. Ela completa dizendo que a comunicação aberta e o apoio ativo do parceiro, familiares ou amigos próximos podem fazer uma grande diferença no bem-estar da mãe e na prevenção ou tratamento da depressão pós-parto.

Além disso, é importante destacar que a busca por ajuda profissional não deve ser subestimada. Os especialistas da área da saúde, como médicos, enfermeiros e psicólogos, podem oferecer orientação, apoio e tratamento adequados para mulheres nesse período. Ter acesso a recursos de saúde mental e aconselhamento pode ajudá-las a entenderem seus sentimentos, desenvolverem estratégias de enfrentamento e recuperarem o controle de suas vidas durante esse período.

Vale ressaltar que o reconhecimento da importância do apoio às mães durante o puerpério é essencial. Reduzir o estigma em torno da depressão pós-parto e promover uma cultura de compreensão e empatia pode encorajar as mulheres a procurarem ajuda sem medo de julgamento.

 

Sobre a Acuidar:

Fundada em 2016 pelo médico Vitor Hugo de Oliveira e pela fisioterapeuta Jéssica Soares Ramalho, a rede oferece serviços no domicílio do cliente ou durante acompanhamento hospitalar, com opções de diárias avulsas e planos mensais. A marca entrou para o mercado do franchising em 2020, contando hoje com mais de 160 unidades inauguradas. O investimento inicial total é a partir de R$ 38 mil (já com a taxa de franquia), o faturamento médio mensal é de R$ 60 mil e o prazo de retorno é de 6 a 15 meses. Saiba mais em: https://www.acuidarbr.com.br/

Marília
nuvens quebradas
17 ° C
17 °
17 °
94 %
1.1kmh
52 %
dom
24 °
seg
29 °
ter
31 °
qua
31 °
qui
30 °

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Últimas notícias