spot_img
spot_img

‘Sherlock Holmes’: quem é o servidor que localizou 36 sorteados da Nota Fiscal Paulista e entregou R$ 7,2 milhões

spot_img

Mais notícias

por Leonardo Moreno, g1 Bauru e Marília

‘Sherlock Holmes’: quem é o servidor que localizou sorteados da Nota Fiscal Paulista

Auditor fiscal de Marília (SP) sai em busca dos ganhadores, mas grande desafio é convencê-los de que não se trata de trote ou golpe. No momento, 7 ganhadores ainda se recusam a acreditar que foram sorteados com pelo menos R$ 100 mil.

Desde o final de janeiro, o auditor da Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo em Marília (SP) Jair Rosa vem fazendo uma verdadeira caçada por premiados da Nota Fiscal Paulista que não resgataram seus prêmios
O programa do governo estadual devolve um percentual do valor gasto pelo contribuinte que pede a Nota Fiscal Paulista. Os inscritos, além de ajudarem no combate à sonegação fiscal, também podem ser sorteados com valores de até R$ 1 milhão.

Até agora, por meio da iniciativa de Jair, já foram distribuídos mais de R$ 7,2 milhões para 36 pessoas que não faziam ideia de que tinham sido sorteadas. Quase sempre, no entanto, encontrar os sortudos é só parte do esforço.

Como em diversos casos o cadastro dos ganhadores junto à pasta está desatualizado, o auditor fiscal se vale de diversos sistemas públicos e até de consultas ao Google para conseguir localizar os felizardos.

Ele já conseguiu contatar alguns deles por WhatsApp, e-mail, carta e até ligando em estabelecimentos comerciais próximos de endereços relacionados aos ganhadores. Tudo isso para evitar que os prêmios expirem, o que acontece no prazo de cinco anos.

“Teve um senhor que foi premiado com R$ 500 mil. Descobri o endereço dele através do cadastro junto ao IPVA, e passei a mandar cartas. Para convencê-lo de que era algo sério, cheguei a descrever o carro em seu nome”, conta.
Não é golpe!

O verdadeiro desafio enfrentado por Jair, de acordo com ele, é justamente convencer os beneficiados de que não se trata de trote ou golpe. É necessária muita insistência para que os premiados acreditem nele. E nem sempre funciona.

“Todo mês recebíamos a lista de prêmio represados, de pessoas que não apareceram para recebê-los. Isso me incomodava muito e, no final do ano passado, pedi autorização para ir atrás dessas pessoas”, conta o auditor que exerce função pública há nove anos.

Jair tem 60 anos e se tornou auditor de tributos do Estado já depois dos 50, em 2014, após uma carreira de mais de duas décadas no Banco do Brasil. Há seis anos ele assumiu a chefia do posto fiscal de Marília.

“O que me incomodava era essas pessoas terem se inscrito no programa, ajudando a combater a sonegação, com direito a esses valores e sem acesso a eles. Entendo que é dever da Secretaria ir atrás delas”, afirma o auditor, cuja função é normalmente associada à cobrança de tributos e não à distribuição de prêmios.
Inicialmente a lista de prêmios represados contava com mais de 40 pessoas, mas hoje são apenas sete, que seguem se recusando a acreditar que são ganhadoras. “Quem sabe com essa reportagem elas não se convencem, não é?”.

De acordo com o funcionário estadual, normalmente as pessoas desligam na sua cara quando ele fala da premiação. Então, entram em campo as outras técnicas. “Eu aviso para depois não reclamarem de que a sorte não bate à porta, pois ela está batendo”.

Por fim, ele explica que a maioria dos contatados acaba fazendo a verificação do prêmio no site oficial do programa Nota Fiscal Paulista ou procurando diretamente o posto fiscal mais próximo de suas casas.

Uma servidora pública estadual, que mora em São Paulo, é uma das ganhadoras localizadas por Jair. A mulher, que pediu para não ser identificada, foi sorteada há três anos com o prêmio de R$ 500 mil e confessa que maltratou o auditor da primeira vez que ele lhe procurou.

“Tive certeza de que era um golpe, então tratei ele como um estelionatário, um delinquente”, conta a servidora, que levou cerca de 20 dias para ser convencida e é considerada o caso mais difícil por Jair. “Depois eu liguei para ele e pedi desculpas”.

A mulher só teve certeza da premiação quando foi a uma unidade da Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo localizada no bairro do Tatuapé.

“Só de apresentar meu primeiro nome todos já me conheciam por lá, sabiam que eu era a ganhadora. Nunca fui tão parabenizada”, brinca a servidora, que só passou a levar a história de Jair a sério após mostrar para um de seus filhos uma das cartas recebidas.

Outra ganhadora encontrada por ele, que não revela quanto ganhou, é a jornalista Bibiana Camargo, de 54 anos. O dinheiro veio em boa hora, já que ela estava endividada e precisava terminar de pagar a formação das filhas.

A princípio, ela também ficou relutante. Mas, após constatar que Jair tinha razão, enviou-lhe uma carta como forma de agradecimento.

“Você foi instrumento de um milagre. Minha vida estava um caos absoluto, meu nome negativado”, escreveu Bibiana na carta, compartilhando o sentimento de muitos outros ganhadores encontrados pelo auditor fiscal.

Auditor fiscal Jair Rosa: “Sherlock Holmes” procura ganhadores de prêmios da Nota Fiscal Paulista — Foto: Fábio Modesto/TV TEM

Bibiana é uma das ganhadoras localizadas pelo auditor fiscal de Marília (SP) — Foto: Reprodução/TV TEM

Marília
nublado
23.2 ° C
23.2 °
23.2 °
88 %
1.2kmh
100 %
seg
23 °
ter
27 °
qua
27 °
qui
25 °
sex
27 °

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Últimas notícias