spot_img
spot_img

“Municípios Sugismundos”: Reportagem aponta Bauru e Marilia com baixo índice de limpeza Urbana

spot_img

Mais notícias

Reportagem adiante é do G1

Bauru e Marília registram índice baixo em sustentabilidade na limpeza urbana, mostra estudo

Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana deu nota “muito baixa” para Marília, “baixa” para Bauru, “média” para Botucatu e “alta” para Ourinhos. Estudo é do Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb), em parceria com a PwC Brasil.

Por Moreno Capellanes, G1 Bauru e Marília

Bauru e Marília (SP) são as duas principais cidades do centro-oeste paulista e tiveram desempenho classificados como “baixo” e “muito baixo”, respectivamente, no Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana, um estudo com dados de 2022.

O assunto está mais uma vez em discussão neste Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta segunda-feira (5), devido ao prazo do Plano Nacional de Resíduos Sólidos para fim dos lixões em todo país, que se encerra em 2024, após ser fixado inicialmente dez anos antes, e deve ser descumprido novamente.

Em Marília, por exemplo, tecnicamente não há mais lixão a céu aberto, mas são frequentes as multas da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) por descarte irregular de resíduos em diferentes pontos do município.

Não é por acaso, portanto, que Marília teve o pior desempenho entre as quatro maiores cidades do centro-oeste paulista na pesquisa do Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb), em parceria com a PwC Brasil.

Moradores reclamam de ponto de descarte irregular na zona norte de Marília (SP) — Foto: Arquivo pessoal
Moradores reclamam de ponto de descarte irregular na zona norte de Marília (SP) — Foto: Arquivo pessoal

O Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana também se baseia no Plano Nacional de Resíduos Sólidos e tem uma nota que vai de zero a um. No estudo, Marília tirou 0,494.

Bauru, teve nota 0,502, enquanto outras duas das maiores cidades da região, Botucatu e Ourinhos, alcançaram, respectivamente, 0,684 e 0,754.

Enquanto Marília ficou com nota “muito baixa” e Bauru com nota “baixa”, o índice atingido por Botucatu foi considerado “médio” e, de Ourinhos, como “alto”.

Avaliação
Com base em dados públicos são avaliadas quatro “dimensões” no Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana: Engajamento do Município; Sustentabilidade Financeira; Recuperação dos Resíduos Coletados; e Impacto Ambiental.

A primeira dimensão avalia o engajamento e a maturidade da sociedade. São levados em conta o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal e a porcentagem da população atendida com o serviço de coleta regular de resíduos sólidos.

A segunda dimensão avalia a capacidade do município em sustentar financeiramente os serviços de manejo de resíduos sólidos. É verificado a cobrança pela atividade e se a cifra arrecadada é suficiente para o custeio.

Na terceira dimensão é verificado o grau de adesão da cidade ao Plano Nacional de Resíduos Sólidos. É avaliada a quantidade de material recuperado sobre a massa coletada.

Por fim, se analisa a destinação correta ou incorreta em relação à população atendida. Em suma, nesse ponto é verificado qual o encaminhamento dado aos resíduos sólidos coletados e se existem lixões, por exemplo.

Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana

Bauru: 0,502
Botucatu: 0,684
Marília: 0,494
Ourinhos: 0,754

Engajamento do Município

Bauru: 0,869
Botucatu: 0,874
Marília: 0,856
Ourinhos: 0,855

Sustentabilidade Financeira

Bauru: 0,000
Botucatu: 0,751
Marília: 0,000
Ourinhos: 1,000

Recuperação dos Resíduos Coletados

Bauru: 0,0017
Botucatu: 0,021
Marília: 0,000
Ourinhos: 0,091

Impacto Ambiental

Bauru: 1,000
Botucatu: 1,000
Marília: 1,000
Ourinhos: 1,000

As quatro prefeituras citadas acima foram procuradas para esclarecimentos sobre quais medidas vêm sendo adotadas nos últimos anos para avançar na sustentabilidade da limpeza públicas e quais ações ainda podem ser tomadas para avançar nos tópicos avaliados pelo estudo, mas apenas Ourinhos e Botucatu responderam.

Segundo o Ourinhos, a criação da Central de Transbordo, onde há o armazenamento temporário, encaminhamento e transporte correto do lixo, foi a solução encontrada para a destinação adequada após o esgotamento do aterro sanitário da cidade.

“Outra ação importante quanto aos resíduos foi a transferência da coleta para a prefeitura, com a reorganização do serviço e disponibilização de contêineres em locais de maior circulação para evitar que o lixo ficasse espalhado pelas ruas”, seguiu a administração ourinhense, que conquistou o selo Município VerdeAzul.

Além de ações educativas e de conscientização, segundo o Executivo de Ourinhos, a “cidade também busca a modernização dos serviços, com a criação de aplicativo e atendimento digital, diminuindo a burocracia e deslocamentos para solicitações diversas de fiscalização, arborização, proteção animal, denúncias, etc”.

Para o futuro próximo, de acordo com a prefeitura, estão planejadas ações como “a criação de ecopontos, novas recuperações das nascentes, projetos especiais de coleta seletiva, além de dar continuidade e mais celeridade aos projetos que já foram colocados em prática”.

Já Botucatu informou que “desde o início do governo o tema limpeza pública foi tratado como prioridade e diversas melhorias foram implantadas. A cidade de Botucatu tem coleta convencional porta a porta que atende 100% da população e todos os resíduos coletados são encaminhados para aterro sanitário devidamente licenciado e operado pela própria prefeitura”.

Em nota foi informado que “a coleta seletiva foi ampliada no final de 2021 quando passou a atender 90% da população urbana com o serviço de coleta porta a porta. A recuperação dos resíduos coletados tem melhorado desde então. A cidade ainda conta com pontos de entrega voluntária(PEVs) posicionados em locais estratégicos para o descarte de resíduos recicláveis e 1 ecoponto”.

Ainda segundo o município, “todos os resíduos recicláveis coletados são encaminhamos para a cooperativa de agentes ambientais de Botucatu, onde é realizada a triagem e separação dos resíduos”.

Por fim, a prefeitura de Botucatu informou que “para melhorar o desempenho local com sustentabilidade e limpeza urbana o município irá intensificar as medidas de educação ambiental para conscientizar a população sobre o descarte correto de resíduos sólidos. Está em fase final o projeto de ampliação do aterro sanitário para assegurar a destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos”.

Marília
céu limpo
17.2 ° C
17.2 °
17.2 °
83 %
1.3kmh
0 %
seg
28 °
ter
28 °
qua
29 °
qui
30 °
sex
29 °

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Últimas notícias